Santidade Juvenil


Paola Adamo (1963-1978). Era uma rapariga da paróquia salesiana “S. João Bosco” de Taranto, cuja igreja foi construída pelos seus pais, arquitectos. Morreu devido a uma hepatite viral. Uma das frases mais belas do seu diário propõe-na como modelo para tantas jovens pré-adolescentes de hoje: “Se acreditas em Deus, tens o mundo numa mão”.





Sean Devereux (1964-1993). Antigo aluno e cooperador salesiano inglês, voluntário na Libéria. De alma sensível, falava sempre das pessoas que sofriam da insensibilidade de que a rodeava ou a governava. “Enquanto o meu coração palpitar, devo fazer o que penso que posso fazer, quer dizer, ajudar todos quantos têm menos sorte do que eu”. Foi morto quando era voluntário em Kismayo, na Somália.>>

Salvo D'Acquisto (1920-1943). Napolitano, antigo aluno salesiano. Ingressou na Guarda e destacou-se pelas suas qualidade humanas e espirituais. Preciosas são as suas cartas à noiva. Os seus dotes de bondade e o sentido cristão da vida brilharam sobretudo quando, para salvar 22 vítimas inocentes da represália nazista, se ofereceu heroicamente para ser fuzilado no seu lugar. Medalha de ouro de valor militar. Brevemente será Beato.


>>



Fernando Calò (1939-1956). Morreu em consequência de um choque contra uma coluna, jogando futebol no Colégio salesiano do Estoril em Portugal. Um pouco irrequieto, filho de mãe solteira, aluno de vários orfanatos, quando chegou aos salesianos, deu uma volta radical à sua vida. Conseguiu levar a sua mãe de novo à igreja que dela se tinha afastado havia muito tempo. Foi apóstolo entre os seus companheiros, ele que era considerado um dos mais violentos.



Ninni di Leo (1957-1974).Oratoriano da vila Ranchibile, de Palermo, morreu de leucemia. Gostava de música, de dança, de canto e de basquetebol. Era um adepto do Inter. Altruísta por natureza, nunca pensava em si próprio, e ajudava todos os que tinham necessidade dele. Ao médico que, vendo os seus sofrimentos e não podendo fazer nada e lhe perguntou: “Mas tu que fizeste a Deus?”, respondeu-lhe: “ Porque é que se tem de meter Deus aqui? Por acaso não sofreu o Senhor tanto por nós?”.



Xavier Ribas (Barcelona 1958-1975). Animador do Oratório de MArtí-Codolar, de Barcelona. Morto num acidente de montanha, enquanto descia do cume do monte acabado de conquistar em companhia dos amigos. Costumava dizer que com a ajuda de Cristo não há impossível. Era um jovem alegre, sensível, cheio de sonhos. Tinha um grande desejo de chegar a ser professor primário, para poder fazer o bem. Preciosas são as suas “Reflexões de um jovem cristão”.



Michele Magone (1845-1859) e Francisco Besuco. O primeiro de uma incrível vivacidade, era um autêntico pequeno chefe de grupo, que só a perícia pedagógica de Dom Bosco conseguiu dominar, orientando-o para a santidade. Foi um outro Domingos Sávio. Desde criança foi um pequeno apóstolo entre os colegas, sempre disposto a manter a paz. Ajudava o pároco como catequista dos mais pequenos. Desde que entrou no Oratório, segui à letra todas as sugestões de Dom Bosco. Caiu doente em Valdocco e aí morreu. Tinha só 14 anos.



Roderick Flores (1969-1984). Pertencia à associação dos escutérios do Dom Bosco Technical College de Mandaluyong (Filipinas). Afogou-se na tentativa de salvar dois companheiros que sofreram caimbras enquanto nadavam. O seu corpo foi encontrado uma semana depois. “O acto heróico de lançar-se á água para salvar os seus companheiros foi só o ponto culminante de uma longa sucessão de inumeráveis gestos de altruísmo realizados diariamente”. Este é o testemunho de um salesiano que o conheceu.



Ceferino Namuncurá (1886-1905). Filho do Cacique Manuel das tribos auraucanas. Estudou com os salesianos em Buenos Aires, em Itália no Colégio de Vila Sora, em Frascati. A tuberculose acabou com ele aos 19 anos de idade. Habituado às planícies da sua terra, adaptou-se à vida do Colégio sendo um modelo para todos os seus companheiros. Na Primeira Comunhão, aos 12 anos, fez um pacto de absoluta fidelidade com o seu amigo Jesus. Popularíssimo na Argentina, é invocado e venerado por todos.



Domenico Zamberletti (1936-1950). Um menino prodígio, pertencente aos acólitos do Sacro Monte, de Varese, Itália. Aluno dos salesianos. Estava fascinado pela oração: “quando rezo não me dou conta do tempo que passa”. Filho do dono de um albergue, tinha dado ordem na cozinha de que preparassem sempre um prato a mais para o “Cristo faminto”. Morreu de leucemia entre dores e atrozes, dizendo: “Mamã, estou bem. Vou para o Paraíso”.



Tiago Maffei (1914-1935). Aluno durante três anos do colégio Salesiano de Valsalice, de Turim, estudante de medicina, de comportamento irrepreensível. Morreu de septicemia. Escrevia aos seus pais: “Apostolado, sobretudo apostolado... O Senhor dispôs bem as coisas; encontro-me em condição de podê-lo fazer amplamente e com fruto”. O seu segredo foi a pureza do seu coração.



Bartolomé Blanco (1914-1936). Antigo aluno e cooperador salesiano, foi assassinado durante a guerra civil espanhola, no grupo dos mártires de Andaluzia. Era um jovem bom, recto e valente, comprometido no estudo da questão social e da doutrina social da Igreja. Activíssimo na Acção Católica. Por pertencer à Acção Católica foi preso e encarcerado e condenado à morte. Antes de receber o golpe mortal, exclamou: “Viva Cristo Rei!”.



Alberto Marvelli (1918-1946). Engenheiro químico. Durante os quatro anos passados em Rimini, todas as manhãs ia à missa à igreja dos salesianos e frequentava assiduamente o Oratório. Foi atropelado por um autocarro militar que vinha pela direita depois de abalroar um Troley que estava parado. Escreveu: “o nosso proceder na vida deve ser uma contínua e decidida soma de experiências precedentes e das contínuas graças actuais que o Senhor constantemente nos concede”.



Petras Pércumas (1917-1937). Lituano, aspirante missionário salesiano. Doente de coração, morreu com fama de santidade em Rebaudengo, Turim. Estava dotado de grande fé e de grande bondade: “Não entornar a tinta porque é coisa de Deus”. “Limpa bem porque estas são coisas de Dom Bosco e foi o Senhor que no-las ofereceu”. Foi escrupulosamente fiel no que se referia ao cumprimento dos próprios deveres.



Willi De Koster (1974-1984). Mexicano, morreu de leucemia depois de uma doença que durou seis anos, durante os quais mostrou toda a sua maturidade e serenidade. Tinha sido aluno dos salesianos em Chapalita. A sua vida foi alegre e, ao mesmo tempo, dolorosa, e soube levá-la a bom porto como um pequeno santo.



Marcela Cruz Atempa Morales (1967-1983). Antiga aluna das FMA, mexicana, fascinda por Laura Vicunha. Morreu de leucemia mieloblástica. Escolheu, ela própria, os cantos para o seu funeral. Em 1981, depois do atentado contra o Papa, Marcela escreveu-lhe uma carta comovedora na qual, entre outras coisas, dizia: “Se o Senhor me chama a segui-lo, estou disposta, como a ovelha que segue o seu pastor”. Durante a doença no hospital, tocava com gosto, flauta para alegrar os outros pacientes.





Renato Scalandri (1919-1944). Antigo Aluno do Colégio clássico de Valsalice de Turim.
Chamado para a guerra como sub-oficial dos alpinos e feito prisioneiro, morreu
no campo de concentração de Hammerstein, ferido à traição por uma espada e sem
motivo por um sentinela. Rezava o terço todos os dias, mas a sua oração
fundamental era a sua vida, a sua lealdade, a sua delicadeza humana, radicada
na visão do Evangelho. Foi dirigente da Acção Católica até assumir cargos
nacionais.




Sigmund Ocasion (1976-2000). Antigo Aluno de Mandaluyong (Filipinas), escola à qual ficará
unidíssimo, inclusivamente depois da sua transferência para Toronto. Modelo entre
os companheiros, morreu de um tumor. Dispunha de uma inteligência vivíssima e
de uma bondade única. Quando se manifestou a sua doença no hospital,
chamaram-no o “rapaz especial”. Escreveu cerca dele o padre Occhio: “Vi neste
jovem o rosto sereno de Cristo do Santo Sudário”.






Apoiar a AAASE


Somos um Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos e de utilidade pública, que dirige a sua atividade principal para a educação e ainda para o apoio às famílias e comunidade.

Saiba como ajudar-nos ao preencher a sua Declaração de IRS.

Mais informações...

Projeto Educativo de Escola 2016-2019

Leitura rápida

Completo

Download